Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

JUNTE-SE A MAIS DE 22.000 PESSOAS

O que aprendemos com 10 grandes empresários durante uma imersão em empreendedorismo

IMG_1586
O que aprendemos com 10 grandes empresários durante uma imersão em empreendedorismo
5 (100%) 3 votos

Evento aconteceu em nova parceria entre a Sociedade Brasileira de Hipnose, Pyong Lee e Alberto Dell’Isola. E reuniu novos empreendedores que estão movendo o país

A palavra que orientou os 3 longos dias da “Imersão em Empreendedorismo e Hipnose”, sem dúvidas, foi CRESCIMENTO.

O evento reuniu grandes empresários, jovens empreendedores, coachs, hipnoterapeutas, e profissionais em transição de carreira e recolocação no mercado. Todos com sede de conhecimento, em busca de troca de experiências e com muita vontade de enriquecer sua rede de networking.

Confira um pouco do que aconteceu nesses 3 dias de evento, com os melhores momentos de cada palestra.

Robinson Shiba – China Inbox

“Estar no momento certo significa investir, inclusive, na crise. O momento certo virá, e quando ele vir, é necessário estar preparado para isso”.

Robinson Shiba

A estrela da primeira manhã da imersão foi o TUBARÃO, Robson Shiba. Fundador do China Inbox, Gendai, Trend Foods, e jurado do programa Shark Tank, do canal Sony.

Shiba se dedicou a desconstruir a imagem de tubarão, contando a história de sua família, seu primeiro contato com o empreendedorismo, sua trajetória de abandono da odontologia para se dedicar à gastronomia e como chegou a fundar a maior rede de restaurantes japoneses do país. “O meu propósito é o empreendedorismo do bem”, afirmou.

Erick e Shiba

Shiba explicou sua concepção do que é ser empreendedor. “Ser empreendedor não é ser empresário. Empreendedorismo é atitude. Muitos de meus colaboradores são mais empreendedores do que muitos empresários que conheci ao longo de minha trajetória”. Estimular essa atitude empreendedora, dando condições de desenvolvimento para seus colaboradores, é a principal tarefa do empreendedor. Empreendedorismo é gerar emprego, e só assim assim o país vai pra frente”, disse.

Ele também contou sobre como estabelece sua relação com seus funcionários. “É preciso que seu colaborador seja seu fã. Que ele queira te ajudar a crescer, vestindo a camisa da empresa, e que seja o seu seguidor. Mas para isso, é preciso que você o inspire e que, com resultados, mostre que ele também pode crescer”, explicou.

Por último, o Tubarão deixou a sua formula do sucesso: “Foco nos diferenciais, conhecer o público alvo e seu local de atuação, fazer seu ecossistema prosperar e ser didático na educação de seu público”.

Shiba - facilitando ideias

Christian Barbosa – Triade do Tempo

 “Pare de correr e comece a andar”

Christian Barbosa

Também gerando grandes expectativas, a segunda palestra do dia foi a de Christian Barbosa. Por ser o maior especialista em produtividade e administração do tempo do Brasil, e também empresário e investidor em Startups de tecnologia, Christian dividiu sua palestra nesses dois focos, gestão do tempo e empreendedorismo.

Ele explicou que a função mais importante, e mais difícil, de qualquer empresário é saber delegar tarefas. “Se o crescimento de sua empresa está ligada diretamente ao tanto que você trabalha, ela está fadada ao fracasso. Limitar ganhos ao trabalho é um erro. Quem trabalha, vende seu tempo, e o tempo é limitado”, explicou.

Christian pontuou que, quando está na operação, sempre pensa formas pra fazer o seu negócio caminhar sozinho, e ser cada vez mais lucrativo. “É preciso ter em mente que ninguém é insubstituível, nem mesmo você. Se você é insubstituível para o seu negócio, você é prisioneiro e carcereiro de si mesmo. Essa mentalidade tem que mudar para que você possa dedicar o seu tempo para o que realmente importa”.

Outra lição deixada por Christian Barbosa é que não devemos nos apegar muito ao empreendimento. “Todo negócio tem início meio e fim. Ganha dinheiro de verdade, quem compra e vende negócios. Um bom planejamento envolve a aquisição ou criação de uma empresa, fazer o seu desenvolvimento e saber a hora certa de vende-la para investir em outra coisa”. O foco deve ser criar bons serviços, que sejam diferenciados e que não se massifiquem.

Christian também ponderou que para conseguir colocar em práticas suas tarefas, é preciso investir não só energia, mas principalmente, planejamento. Com um bom planejamento é possível poupar tempo e energia. “Você não pode ser lâmpada, que emite energia para todos os lados, é preciso ser raio laser, que concentra toda a sua energia em um ponto específico para se conseguir bons resultados”, afirmou.

Para ser raio laser, é necessário que se mude a cultura de planejamento. “Aprendemos a gerenciar reuniões e não tarefas.  Isso é consequência de um país que passou por uma super inflação”, explicou. Deixar as coisas para última hora é uma atitude de sobrevivência em um ecossistema doente. Por isso, é preciso se esforçar para mudar essa cultura, priorizando o gerenciamento de tarefas.

Israel Salmen – Melliuz

“Antes de começar algo do zero é preciso saber primeiro quem vai estar ao seu lado”.

Israel Salmen

Israel Salmen, CEO do Melliuz, iniciou sua intervenção falando sobre seus primeiros passos no empreendedorismo. Quando, ainda em sua adolescência, começou a fazer sites para pequenas empresas de Governador Valadares.

Israel percebeu que estava muito na moda empresas de coberturas fotográficas de eventos, mas nenhum desses sites fazia a cobertura de eventos evangélicos. Encontrar essa nicho fez com que ele criasse o primeiro site de fotos de baladas evangélicas, o Galeria Gospel. O negócio deu muito certo até o surgimento dos primeiros celulares com câmeras, quando se perdeu o sentido de ter um site exclusivo para fotos.

Ele mudou para Belo Horizonte, onde começou a estudar economia. Sua segunda experiência de empreendedorismo foi uma gestora de investimentos, que fundou ainda no terceiro período. “Mas o mercado financeiro me corroía, porque sempre tem gente perdendo dinheiro. E eu queria montar um serviço em que todos ganhassem. Foi a partir daí que comecei a estudar o modelo de fidelidade”, contou.

O esquema parecia perfeito, as lojas adotavam, os modelos eram lucrativos, e realmente geravam algum tipo de fidelidade. Porém os clientes não estavam muito satisfeitos, pois o sistema de pontos é lento e os usuários acabavam não os resgatando e os pontos expirando.

O modelo de Cashback já existia fora do Brasil, mas nenhuma empresa brasileira chegou a investir nessa plataforma. Assim, em 2011 foi lançada a Melliuz, que adotou essa proposta inovadora, mas que não vingou no primeiro momento, o que quase os levou a falência em 2012.

“Percebemos que as pessoas não acreditavam em nossa proposta, por ‘parecer bom demais para ser verdade’. O público não estava preparado para a aproximação que fizemos”, explicou. O que conseguiu reverter os prejuízos foi o investimento em um tipo de marketing voltado para a educação o público, que explicasse o seu funcionamento e oferecesse a experiência de forma secundária. Outra estratégia adotada foi o uso de influenciadores digitais, para difundir o produto. O que mudou o quadro de quase falência para um crescimento sem precedentes.

Uma grande lição deixada por Israel é saber com quem se relacionar na hora de criar um negócio. Ele ressaltou a importância de ter uma cultura bem definida na empresa, contratar pessoas que estejam em consonância com essa cultura e manter um constante processo de reciclagem dessa cultura. “Uma pessoa que não tem a cultura da empresa é um câncer. Ele puxa o setor dele pra baixo, o andar dele todo pra baixo e possivelmente toda a empresa para  baixo”.

Israel ressaltou que, além cortar aqueles que não combinam com a cultura, também é preciso fazer com que os melhores sejam recompensados, e até se tornem sócios. “Pra fazer um bolo grande, a gente tem que dividi-lo”. A adoção de Stock Options foi uma importante decisão, fazendo com muita transparência para que as pessoas se sintam recompensadas e não criem falsas expectativas, sem que frustre ninguém.

João Pedro Resende – Hotmart

“Empreender é aceitar os riscos de investir naquilo que acredita”

Erick e JP

Uma lição deixada João Pedro (JP), founder da maior plataforma de produtos online do Brasil, a Hotmart, é que “Se você quer mesmo fazer um negócio do zero. No começo você tem que aprender a fazer de tudo”. Esse passo é essencial, não só porque ao criar uma startup não se tem dinheiro para contratar mão de obra qualificada, mas também, porque isso faz com que os fundadores aprendam um pouco sobre todos os processos, conhecendo de fato o seu produto.

JP também falou sobre a necessidade de assumir os riscos. “No impasse entre escolher entre a estabilidade de nossos trabalhos com carteira assinada e a nossa ideia, optamos por pedir demissão para investir tudo que tínhamos no Hotmart”, afirmou.

Esse primeiro passo normalmente é um grande obstáculo para qualquer pessoa que quer empreender. “Na prática esse é um dilema entre ficar sem o dinheiro garantido de cada mês, ou ficar sem tempo para investir em seu projeto”.

Outro passo importante para o crescimento da empresa, em seu processo de crescimento, foi a mudança na forma de contratação. “Passamos a contratar não por indicação, mas por admiração”. Daí a busca de pessoas qualificadas e que tenham o perfil que a empresa procura passou a ser essencial, mesmo que elas custassem mais caro.

Outra dica deixada por JP é que, mais importante que o ser forte, é ser “antifrágil”. O conceito se baseia em ter um negócio que não seja baseado em algo que pode por fim. Ele exemplificou com as redes sociais “um negócio que dependa diretamente só do facebook pode ser muito lucrativo, mas se o facebook fizer uma mudança no algoritmo, isso pode comprometer a existência do seu negócio”.

Hotmart - facilitando ideias

Ewertton Gonzaga – Fastmind e Ecofinanças

“Domine seu comportamento e conquiste sucesso financeiro”

O professor e consultor financeiro Ewertton Gonzaga, professor de economia da FGV e Anhanguera, fez sua palestra sobre Finanças Comportamentais. Falou sobre a importância do dinheiro e sua influência cultural na sociedade brasileira.

“O dinheiro no Brasil é um assunto proibido, isso cria um mindset negativo para a maioria das pessoas, que inconsciente consideram prosperar algo errado”, afirmou. Ewertton explicou que o autoconhecimento e o planejamento é a chave para a independência financeira.

Ele também ressaltou que a relação com ganhar mais dinheiro deve ser sempre um meio, e não um fim. “Compre menos e viva mais experiências”, afirmou.

Ewertton Gonzaga

Pyong Lee – Maior canal de Hipnose do mundo

“Feito é melhor que perfeito, o mais importante no empreendedorismo é a atitude”

Pyong Lee
Infográfico conta a trajetória de Pyong Lee

No segundo dia, foi a vez do anfitrião Pyong Lee dar o seu recado. Ele contou sobre sua trajetória, com uma infância difícil, até a chagada no youtube e a transformação que isso causou na sua vida.

Pyong também deu dicas para quem quer montar um canal no youtube hoje e monetizar com isso. Ele ressaltou que é importante analisar o que não está dando certo em si mesmo e se esforçar para mudar. “Mudar de atitude é essencial para conseguir novos resultados”.

Segundo Pyong, o segredo da audiência no youtube se resume à 4Cs. Conteúdo, Constância, Congruência e Crenças.

  1. Conteúdo: É importante produzir algo que gere relevância e que tenha qualidade.
  2. Constância: Sempre estar postando coisas novas. Postar com constância educa o seu público a te seguir. É importante acompanhar as tendências de quantas postagens cada rede social comporta.
  3. Congruência: Você tem que alinhar a sua prática e o seu discurso. Para se ter credibilidade é preciso estar bem alinhado. Fazer o que se prega, viver o que se defende.
  4. Crenças: Ter crenças fortalecedoras é essencial. Entrar com uma imagem derrotista leva necessariamente a derrota. Ter um mindset voltado para o sucesso é essencial, mas também é importante medir as expectativas para evitar frustrações e lidar bem com ela.

Pyong também falou sobre a necessidade de usar as mídias sociais a seu favor. Como sempre surgem coisas novas é bom saber onde investir seus esforços, e como se posicionar em cada uma delas. Diversificar sua “carteira de plataformas” é essencial para manter sua plataforma principal. Ou seja, se o negócio é o youtube, é preciso ter uma estratégia de fortalecimento do canal do youtube nas demais redes sociais, como instagram, twitter e facebook.

youtube

Thiago Fonseca: Canal Boom, com 5 milhões de inscritos no youtube

“Quem faz na sorte faz uma vez. Quem sabe fazer,  faz sempre.”

Thiago e Pyong

Thiago começou sua palestra demonstrando como diversos negócios conseguiram mudar sua história, sem gastar um centavo, a partir de um post viral no facebook. A partir de uma série de cases, Thiago demonstrou que este é um fato recorrente, mas poucos dos que conseguem fazer uma vez repetem o feito. Isso acontece porque na maioria das vezes o conteúdo se viraliza por sorte. Mas todos eles seguem a mesma formula.

  • Ponto em Comum

Algo que gere a identificação do espectador. Objetos, animais, sentimentos, tipos de pessoas, comidas, ações, celebridades, lazer, profissões, transporte, lugares.

  • Algo novo

Quando o estímulo é repetitivo, ele é ignorado. Não precisa reinventar a roda. As vezes pode simplesmente dar uma nova roupagem. Por exemplo: Remix, parodia, ou formas inovadoras e diferentes de se fazer a mesma coisa.

  • Emoção

Atingir as emoções é a melhor forma de fazer com que o cliente se engaje com o seu produto. Os principais sentimentos que geram a viralização são: Raiva, Alegria, Medo, Nojo, Tristeza, Surpresa.

Segundo Thiago, com essas 3 características é impossível não se tornar viral.

Além disso, é preciso embalar bem o produto. É preciso criar um título irresistível, ter uma capa irresistível. Um roteiro magnético. Chamada pra ação com uma venda invisível.

Infográfico Thiago

Elias – Canal Eu sou Elias (500 mil inscritos no youtube)

“No marketing, como na sedução tudo se resume à 3 passos: Despertar atenção, gerar conexão e a proposta irrecusável, ou, chamada pra ação.”

Elias Maman tem um canal voltado para o desenvolvimento masculino, com dicas sobre psicologia social, auto-confiança, relacionamento interpessoal, dicas de exercícios físicos e literatura. Mas a sua especialidade mesmo sua habilidade em redigir “copys”. Copy é o texto direcionados para a venda de produtos.

Elias sugeriu que a melhor forma de fazer um bom texto de copy é redigi-lo antes mesmo da criação do produto. Assim é possível suprir todas as dores do usuário e se dedicar a fornecer um produto inovador com todas as características levantadas na carta de vendas.

Uma boa prática é ler muitas copys antes de começar a sua, mas nunca copiar o conteúdo de uma boa copy para o seu produto. Pois cada texto de copy deve ser adaptado ao público e ao produto.

Uma boa Copy passa por 4 Perguntas: 1. O que o seu produto é? 2. Pra quem ele serve? 3. O que ele faz? 4. Como ele faz?

A partir disso, é preciso segui 5 Passos:

  1. Promessa – Ao chegar em sua Lanpage, se você não deixar claro para o comprador, ainda nos primeiros segundos o porque ele tem que ficar lá, ele vai sair. Erros: As promessas são muito fracas. Uma boa promessa vai ao encontro dos desejos conscientes e inconscientes dos compradores.
  2. História – É preciso gerar conexão. Mostrar insucessos e tentativas fracassadas antes do produto é um bom exemplo.
  3. Conteúdo – Dar uma demonstração que prove a eficácia do seu produto é uma boa prática. A demonstração tem que ser com alguém que o seu público possa se identificar.
  4. Oferta – É preciso matar todas as objeções e suprir todos os desejos. É preciso lembrar sempre que vender um infoproduto é mais difícil que qualquer outro mercado. Por isso, a oferta tem que ser tão contundente que, desistir da compra cause mais dor do que gastar o dinheiro.
  5. Chamada pra ação. Uma boa e visível chamada pra ação tem que gerar expectativa e não dar espaço para que o comprador possa repensar a compra.
Infográfico Elias

Eduardo Cristian – Black West

“É importante queimar a ponte, as pessoas montam um negócio olhando para trás. ‘Se isso não der certo, eu volto para onde eu estava antes’. Isso prepara o seu negócio para o fracasso”.

Black West

Eduardo Cristian é o fundador da Black West. Empresa do mercado de confecções, surgida em 2013. No ápice da crise do mercado têxtil, a Black West saiu do zero e tem crescido ano após ano.

O segredo do sucesso foi o estabelecimento de uma gestão diferenciada, com uma carreira interna unificada, e uma cultura que incentiva a resolução dos problemas dentro dos próprios setores de trabalho, incentivando a todo o momento o aprendizado e a motivação dos funcionários.

Infográfico Eduardo Cristian

Carlos Crasto – DISC

“Sua performance importa, vá além!”

O DISC foi citado como uma importante ferramenta de avaliação de comportamento nas apresentações de Robinson Shiba, da China Inbox e JP, da Hotmart. Essa ferramenta ajuda a identificar os perfis mais qualificados para determinadas áreas, e como trabalhar os profissionais de cada setor.

Crasto é o criador dessa ferramento, e deu uma explicação exemplificada de como ela funciona. A partir dos padrões do fundador da psicologia analítica Carl Gustav Jung, ao responder um questionário online, é possível fazer um retrato muito aproximado dos padrões comportamentais de qualquer pessoa.

Crasto explicou cada um dos padrões D (Dominante), I (Influente), C (Cauteloso), S (Sereno). Ele usou de exemplos práticos, de quem estava na sala,  pra mostrar como cada uma dessas características estão presentes em diferentes níveis em cada indivíduo, e como isso pode influenciar positiva ou negativamente nas relações pessoais e de trabalho.

Infográfico Crasto

Uma experiência única

Ao final, um só sentimento: Satisfação. Todos os presentes saem da imersão mais bem preparados e capacitados para voltar aos seus empreendimentos. Com uma certeza, qualquer investimento é pequeno para a riqueza das informações compartilhadas ali. A imersão ajudou a ampliar perspectivas, e orientar o caminho daqueles que querem se posicionar entre grandes mestres do mercado.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses?

Cadastre-se para receber os nosso conteúdos por email e seja um membro da Comunidade SBH
Sociedade Brasileira de Hipnose

A Sociedade Brasileira de Hipnose iniciou como uma empresa que visa a profissionalizar o cenário da hipnose no Brasil. Temos a missão de ser a maior organização do mundo de profissionais que utilizam a hipnose como ferramenta de trabalho!

O blog da SBH ajudam centenas de pessoas e profissionais a atingirem seus objetivos. Nós queremos ajudar você também.

Termos de Uso:

Ao utilizar os serviços deste site, você aceita e concorda com nossos termos de uso, assim como políticas de privacidade e aviso legal:

Precisa de ajuda?

Nossa equipe está pronta para atender sua necessidade. Se tiver qualquer dúvida ou problema, não deixe de entrar em contato!

Dúvidas sobre assinaturas, cursos, vendas, sua matrícula ou assuntos comerciais? Envie um e-mail para erick@hipnose.com.br