Milton H. Erickson: O psiquiatra que revolucionou a hipnose clínica

Milton H. Erickson: O psiquiatra que revolucionou a hipnose clínica

A hipnose é uma ferramenta que está avançando suas compreensões e pesquisas, aumentando sua aplicabilidade para diversas áreas e tipos de problemas que existem. Desde a auto hipnose, até o uso da hipnose clínica para controle de dores, alívio de enjoos, tratar crises de ansiedade e depressão, essa técnica tem ajudado as pessoas a terem […]
Avalie o artigo:
5/5

A hipnose é uma ferramenta que está avançando suas compreensões e pesquisas, aumentando sua aplicabilidade para diversas áreas e tipos de problemas que existem. Desde a auto hipnose, até o uso da hipnose clínica para controle de dores, alívio de enjoos, tratar crises de ansiedade e depressão, essa técnica tem ajudado as pessoas a terem uma solução diferente e natural.

Mas se existe um motivo da hipnose ter chegado nos avanços atuais, esse motivo é Milton H. Erickson. Mas Quem é Milton H. Erickson? Por que ele é considerado o psiquiatra que revolucionou a hipnose clínica? Continue a leitura para encontrar essas respostas.

História de Milton H. Erickson

Segundo a Milton H. Erickson Foundation, ele nasceu em 1901, em Nevada e contraiu aos 17 anos a poliomielite. Por causa da doença, os médicos já consideravam que ele não iria sobreviver, pois boa parte do seu corpo estava paralizado, impedindo sua movimentação e a fala.

Neste tempo em que ficou em recuperação, ele se dedicou em se comunicar com gestos do corpo, com tons de voz e outras formas não verbais de comunicação. Ele começou a ter memórias musculares, pela atividade que seus músculos exerciam. Ao exercer essas memórias, ele lentamente começou a recuperar o controle das partes do seu corpo, até que eventualmente ele voltou a falar e usar seus braços de novo.

Segundo pessoas próximas, essa experiência propiciou um ambiente favorável de aprendizado para que ele pudesse desenvolver ainda mais teorias sobre a psicologia, hipnose e saúde mental das pessoas.

Por ter entrado na universidade, ele aprendeu sobre a hipnose e o transe (experiência em que ele percebeu ter muita semelhança com o aprendizado que ele havia adquirido ao longo da sua vida devido às suas dificuldades), que na época ainda era muito desconhecida para os psiquiatras. Pelas suas experiências e pesquisas, ele conseguiu utilizar a auto hipnose para aliviar as dores da poliomielite, e isso ajudou a levar uma vida parcialmente normal e crescer nesse campo.

Carreira acadêmica

Ele se graduou inicialmente na University of Wisconsin, e depois passou por tratamentos médicos durante seus primeiros trabalhos como profissional em Rhode Island, Massachusetts. 

Em 1930 ele foi trabalhar no Worcester State Hospital, que na época era o hospital de maior prestígio para pesquisa e treinamento em psiquiatria. Em Worcester, foi promovido de psiquiatra júnior, para psiquiatra sênior, psiquiatra chefe do setor de pesquisa, rapidamente.

A carreira do Dr. Erickson’s, que teve mais de 50 anos, foi dedicada a conduzir extensas pesquisas em sugestões e hipnose, até que ele foi reconhecido no meio da hipnose e da psiquiatria. Ele deixou um legado na produção de artigos acadêmicos, por ter entregue mais de 140 artigos e 5 livros sobre hipnose, que ele atuou como co-autor.

Um desses livros em que ele participou foi o “Hipnose Médica e Odontológica, Aplicações Práticas”, dividindo autoria com mais dois autores.

Ele é reconhecido hoje como um dos maiores produtores de pesquisas sobre hipnose do mundo. Sua importância para o desenvolvimento de áreas da hipnose, psicoterapia e psiquiatria é incalculável.

Veja abaixo um fluxograma que explica a sua influência acadêmica com mais detalhes.

Artigos acadêmicos

O artigo “Deep Hypnosis and Its Induction” (1952), escrito por Milton Erickson, é um artigo considerado um marco na escrita sobre hipnose. Em contraste com muitos escritos que existiam na época, ele argumenta que a interpretação do sujeito e sua experiência, são fatores cruciais para a hipnose. Com a sua abordagem fora do comum, ele enfatiza que o cliente ou o sujeito são uma pessoa única, e se o hipnoterapeuta, quiser resultados satisfatórios, deve ser orientado pelos fatores que tornam aquele sujeito ou cliente, um ser único.

Já o artigo ‘Naturalistic Techniques of Hypnosis’ (1958), é uma das maiores contribuições que Erickson fez para mostrar aproximações do pensamento naturalista com a hipnose. Neste artigo, Erickson coloca uma situação de ajuda para promover uma sensação de segurança e controle. 

Enquanto o artigo ‘Utilisation Techniques’ (1959), foi importante para mostrar detalhadamente os métodos utilizados por Erickson. Esses métodos levam em consideração o comportamento das pessoas, suas opiniões e resistências. Isso inclui também suas experiências interiores. Através desses métodos, Erickson foi capaz de colocar as pessoas em transe em situações que normalmente, eram consideradas como impossíveis. 

Fundações

Em 1957, o Dr. Erickson com alguns de seus colegas, fundaram a American Society Of Clinical Hypnosis, sendo ele o presidente. Ele também criou o American Journal of Clinical Hypnosis e atuou como editor por 10 anos. 

Hipnose Ericksoniana

A hipnose Ericksoniana mudou em muitas formas, os métodos tradicionais de usar a hipnose. Enquanto a hipnose clássica tinha o costume do terapeuta trabalhar com instruções iniciais de sugestões diretas em pacientes passivos, a hipnose Ericksoniana intensifica a importância da interação do relacionamento do terapeuta e seu engajamento com todos os recursos internos e experimentais da vida do paciente.

Por isso, a hipnose Ericksoniana, ao invés de aplicar sugestões diretas como a hipnose tradicional fazia, ela buscava agir de forma indireta ao que ele chamava de subconsciente (considerada a parte sábia da nossa mente, cheia de aprendizados e experiências que eram fundamentais para o processo de melhora do paciente. Em sua concepção ela tinha as respostas que o paciente procurava.). Isso acontecia para que não houvesse um conflito ou resistência do paciente para acessar o estado de transe. Uma das suas técnicas mais comuns é contar histórias metafóricas que geram muita identificação, que tenham muito significado e contenha sugestões hipnóticas personalizadas e “embaladas para presente”.

Foi a partir dessa abordagem que a hipnose foi revolucionada com inúmeras comunicações, conceitos e relações aplicáveis com o paciente. Por isso, ele é reconhecido como um dos principais profissionais de saúde que alavancaram o avanço da hipnose “moderna” para utilização em casos clínicos.

Portanto, com a história do Dr. Milton H. Erickson, podemos entender o motivo dele ser o psiquiatra que revolucionou a hipnose clínica. Seus feitos e estudos possuem impacto até hoje com o surgimento de novas compreensões da psique humana e como desencadear transformações positivas e duradouras a partir do uso da comunicação, hipnose e psicoterapia.

Gostou deste conteúdo? Se você quer saber mais sobre hipnose clínica, não deixe baixar nosso e-book gratuito HypnoPregancy & ChildBirth  e descubra os efeitos da hipnose na gravidez.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes:

Pós-Graduação em Hipnose Clínica e Terapias Baseadas em Evidências®

Aprofunde-se na teoria e prática das neurociências, e conheça as fronteiras dessa ciência que revela novas possibilidades para todas as áreas do conhecimento. Torne-se um hipnoterapeuta profissional e qualificado com a Sociedade Brasileira de Hipnose.