Distorções Cognitivas: Descubra o que são, os 10 tipos mais comuns e maneiras eficazes de lidar

Distorções Cognitivas: Descubra o que são, os 10 tipos mais comuns e maneiras eficazes de lidar

Distorções Cognitivas: descubra o que são, quais as mais comuns e como lidar efetivamente com elas. Melhore a sua saúde mental com este guia completo.
Avalie o artigo:
5/5

Se você sempre ouviu falar sobre distorções cognitivas, mas nunca compreendeu exatamente o que são, este artigo é para você! Imagine um filtro mental que distorce a maneira como vemos a realidade. Esses filtros são as distorções cognitivas. Eles nos induzem a valorizar em excesso a negatividade, ignorar as evidências positivas ou até mesmo nos induzem a assumir responsabilidades desproporcionais.

Compreender o que são distorções cognitivas é um passo cuidadoso para melhorar a saúde mental e a qualidade de vida. As distorções cognitivas podem ser tão sutis que sequer as percebemos em nossas vidas diárias. No entanto, elas afetam nossos comportamentos, nossas decisões e a maneira como interagimos com as pessoas ao nosso redor. Assim, conhecer essas distorções e aprender a lidar com elas é essencial para uma vida mais equilibrada.

A Sociedade Brasileira de Hipnose preparou este artigo para você entender tudo sobre as distorções cognitivas. Aqui, você aprenderá o conceito de distorções cognitivas, o impacto delas em nosso cotidiano, os 10 tipos mais comuns e, o mais importante, as maneiras eficazes de lidar com essas distorções. Você descobrirá, por exemplo, como a Terapia Cognitivo-Comportamental pode ser extremamente útil para tratar as distorções cognitivas.

Ademais, exploraremos a importância da Hipnose Clínica, que quando associada às práticas baseadas em evidências, potencializa qualquer tratamento de saúde. Lembre-se deste conceito que sempre repetimos na Sociedade Brasileira de Hipnose: tudo aquilo que o estresse e a ansiedade podem piorar, a hipnose científica pode ajudar.

Interessado? Vamos mergulhar no universo das distorções cognitivas!

Compreendendo o Conceito de Distorções Cognitivas

As distorções cognitivas são pensamentos irracionais e automáticos que distorcem nossa percepção da realidade. Estas são ideias inatas e instantâneas que formamos sobre nós mesmos e o mundo à nossa volta. O termo foi introduzido por geniais psicólogos cognitivos como Aaron Beck e David Burns.

Para entender o que são distorções cognitivas, é importante compreender que nossos pensamentos estão intrinsicamente ligados à forma como nos sentimos e nos comportamos. Cada pensamento gera emoções que, por sua vez, influenciam nosso comportamento. É um ciclo interligado.

Então, quando temos pensamentos distorcidos, eles geram emoções negativas, que, consequentemente, alimentam comportamentos autodestrutivos ou improdutivos. Por isso, lutar contra essas distorções é um passo vital para melhorar a saúde mental e emocional.

O que mais se destaca nas distorções cognitivas é a discrepância entre a realidade e a percepção do indivíduo. No geral, as pessoas nem sempre estão conscientes de que estão fazendo suposições distorcidas ou sendo irracionais. Por este motivo, é fundamental aumentar a conscientização sobre a existência destes padrões de pensamento, para que sejam identificados e devidamente tratados.

Ir contra essas distorções cognitivas e aprender a pensar de maneira mais saudável e funcional é muito possível. Este é um processo terapêutico, muitas vezes aplicado na terapia cognitivo-comportamental (TCC), que pode ser potencializado com a hipnose clínica.

O Impacto das Distorções Cognitivas no Cotidiano

Muitos de nós desconhecem, mas as distorções cognitivas podem influenciar consideravelmente nosso cotidiano. São pensamentos ilógicos e automáticos que distorcem nossa percepção da realidade, interferindo em nossas emoções e comportamentos.

Em grande parte do tempo, nem percebemos essas distorções em ação. Elas podem nos levar a reagir de forma desproporcional a determinadas situações, causando ansiedade, medo ou infelicidade. Vamos imaginar um cenário em que você preparou uma apresentação rigorosamente, mas no final, alguém fez uma crítica. Mesmo que outros tenham elogiado seu trabalho, a tendência da distorção cognitiva é se fixar apenas na crítica.

LEIA MAIS  O que faz um psicólogo: Entenda o Papel Fundamental na Saúde Mental

Isso porque as distorções cognitivas têm o poder de filtrar a realidade, levando-nos a focar apenas no lado negativo dos eventos. Esse fenômeno é bastante comum e pode alimentar sentimentos de insegurança e inferioridade.

Em nossa rotina, essas distorções acabam se instalando e perpetuando pensamentos destrutivos, como “eu nunca faço nada certo” ou “sempre sou excluído”. A longo prazo, essas distorções cognitivas podem levar a quadros de depressão e ansiedade.

Mas a boa notícia é que é possível identificar e combater essas distorções cognitivas, evitando o impacto negativo delas em nosso dia a dia. A prática contínua desta conscientização contribui para uma melhor qualidade de vida e bem-estar.

10 Tipos Mais Comuns de Distorções Cognitivas

10 Tipos Mais Comuns de Distorções Cognitivas

As distorções cognitivas são pensamentos irracionais comuns que podem ofuscar o julgamento e distorcer a realidade, tendendo a ser negativos e prejudiciais. Compreender os tipos mais comuns pode nos ajudar a mitigar seus efeitos.

A primeira é a filtropenção, ou seja, focar em um elemento negativo enquanto ignora tudo o mais. Seguindo isso, está a polarização, que é ver tudo em preto e branco, sem cinza. Terceiro, temos a generalização, onde ampliamos um incidente discreto e o aplicamos a todos os cenários relacionados.

A quarta é a leitura mental, onde acreditamos que sabemos o que os outros estão pensando, frequentemente pensando o pior. Em seguida, está a personalização, onde nos responsabilizamos por coisas fora de nosso controle. A sexta é o racional-emocional, que é quando acreditamos que, por sentirmos algo intensamente, deve ser verdade.

Em sétimo lugar, temos a profetização errônea, ou seja, prever resultados negativos, apesar de não haver motivo para acreditar nisso. Seguida pelo falacismo de Deus – ou seja, acreditar que a palavra última sobre a veracidade ou importância de algo reside com uma autoridade exaltada. A penúltima é a falácia do merecimento, que é quando acreditamos que merecemos algo com base em nosso próprio autojulgamento. E finalmente, a falácia da justiça, onde acreditamos que as coisas devem ser justas.

Compreender essas distorções pode nos ajudar a identificar pensamentos impróprios e encontrar maneiras mais saudáveis de lidar com situações difíceis. É uma ferramenta útil para qualquer um, mas é especialmente valiosa para aqueles de nós que ajudam pessoas com hipnose clínica.

Entenda a Personalização: A primeira Distorção Cognitiva

Em nossas vidas diárias, tenho certeza que já presenciamos diferentes cenários onde acontecem as distorções cognitivas. A primeira delas, que vou apresentar agora, é a personalização. Isso ocorre quando o indivíduo se vê como o centro de todas as situações, acreditando erronemente que tudo que acontece ao redor se relaciona com ele de forma direta e personalizada. É como se ele levasse tudo para o lado pessoal.

Por exemplo, se a esposa está de mau humor, o marido, que tende a personalizar, irá pensar que é por causa de algo que ele fez ou falou. É o famoso “achismo” – achar que tudo se refere a si próprio, sem considerar que existem outros fatores ou circunstâncias que podem estar influenciando a situação.

A personalização é uma distorção cognitiva que pode levar a autoacusação, sentimentos de culpa e responsabilidade excessiva por eventos que estão fora de controle pessoal. Isso pode amplificar o estresse e a ansiedade, e também afeta a autoestima, podendo desencadear depressão em alguns casos.

Como profissional que trabalha com a hipnose clínica, é fundamental que estejamos cientes das nuances dessa distorção cognitiva para que possamos orientar nossos pacientes a reconhecer esses padrões e reestruturá-los de uma forma mais saudável e realista.

Maximização e Minimização: Distorção da Realidade

Maximização e minimização também estão na lista das distorções cognitivas mais comuns. Esse tipo de distorção ocorre quando damos a devida proporção a certos eventos, fatos ou características pessoais. A chave aqui é a desproporção: superestimamos ou subestimamos a importância, a relevância ou o impacto de algo.

LEIA MAIS  Saúde Mental Feminina: 10 Fatos Chocantes e Ações para Mudança

A maximização ocorre quando colocamos uma lente de aumento em nossas falhas, erros, medos ou eventos negativos. É como se fizéssemos um “catastrofe” de algo, que na realidade é bem menos grave. Este comportamento costuma levar à ansiedade excessiva, estresse e até mesmo ao pânico.

Já a minimização é exatamente o contrário. Ela acontece quando minimizamos ou menosprezamos nossas qualidades, conquistas, eventos positivos ou a seriedade de um problema. De forma contínua, essa distorção pode causar baixa autoestima, depressão e apatia.

Como profissionais da área de hipnose clínica, precisamos estar atentos a essas distorções cognitivas em nossos pacientes. Eles podem não perceber que estão praticando a maximização ou minimização. Cabe a nós ajudá-los a reconhecer e a lidar com essas exagerações ou minimizações, sempre apoiados por evidências reais e objetivas.

Catastrofização: Enxergando o Pior

Catastrofização: Enxergando o Pior

Catastrofização: esse é um dos tipos mais extremos de distorções cognitivas que encontramos. A Catastrofização se refere à tendência de imaginar o pior cenário possível como resultado de uma situação.

Imagine, por exemplo, que você esqueceu de responder a um e-mail importante de um cliente. Em vez de simplesmente reconhecer o erro e preparar uma resposta rápida, quem sofre com esta distorção cognitiva poderá logo imaginar que isso resultará em perder o cliente, seu emprego, e em uma reação em cadeia que levará até despejo e pobreza.

Percebe-se então o quão prejudicial essa distorção cognitiva pode ser. Ela leva a uma espiral de ansiedade e estresse, muitas vezes incontrolável, pois baseia-se na crença de que desastres estão sempre à espreita.

A hipnose clínica pode ser uma poderosa aliada para lidar com a catastrofização, ajudando a pessoa a interromper os pensamentos automáticos e a reformular a forma como interpreta os eventos.

É fundamental lembrar que todos nós estamos sujeitos a dar uma espiada para o lado mais escuro de vez em quando. A diferença está em como lidamos com esses momentos. A Catastrofização pode ser combatida com práticas de mindfulness, terapia cognitivo-comportamental, hipnose clínica e outras técnicas de relaxamento.

A Importância da Terapia Cognitivo-Comportamental no Tratamento das Distorções Cognitivas

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) desenvolve um importante papel no tratamento das distorções cognitivas. Por meio dela, é possível ajudar as pessoas a identificar e desafiar pensamentos automáticos negativos que geram distorções na percepção da realidade.

Na TCC, a abordagem está centrada na ideia de que nossos pensamentos influenciam diretamente nossas emoções e comportamentos. Logo, a modificação desses pensamentos pode alterar, de maneira positiva, como nos sentimos e agimos.

Trabalhando com o psicólogo especializado em TCC, a pessoa consegue reconhecer quais são as suas distorções cognitivas predominantes e aprender novas estratégias e ferramentas para lidar com elas. Além disso, a TCC estimula o desenvolvimento de habilidades como resolução de problemas, regulação emocional e manejo de estresse.

No contexto da hipnose clínica, a TCC pode ser potencializada. Conforme discutem diversos estudos, a combinação de hipnose com outras formas de terapia, como a TCC, pode ser especialmente eficaz. Isso ocorre porque a hipnose ajuda a acessar a unidade mente-corpo, favorecendo a reestruturação dos padrões de pensamento.

Por fim, é importante lembrar que nem todas as distorções cognitivas são ‘ruins’. Elas são mecanismos que nosso cérebro utiliza para lidar com informações complexas e podem ser uma forma adaptativa de lidar com certas situações. Portanto, o objetivo da TCC não é eliminar todas as distorções cognitivas, mas ajudar cada pessoa a reconhecê-las e gerenciá-las de maneira mais saudável e produtiva.

Maneiras Eficazes de Lidar com as Distorções Cognitivas

Lidar com as distorções cognitivas não é uma tarefa fácil, mas há maneiras eficazes para ajudar esse enfrentamento. Através da mudança de comportamento e pensamento, artifícios valiosos podem ser aplicados.

Primeiramente, identificar a presença de distorções cognitivas é um passo crucial. É preciso reconhecer os padrões negativos de pensamento e questioná-los. Por exemplo, questionar a veracidade das previsões catastróficas que surgem na mente ou se há evidências que comprovem essa previsão.

Além disso, a prática da empatia se faz necessária. Muitas vezes, somos mais duros conosco mesmos do que seríamos com os outros. Logo, considerar o que diríamos a um amigo que estivesse passando pelo mesmo problema ajuda a amenizar a autocrítica.

LEIA MAIS  Como Lidar com Adolescentes Arriscados: Guia Para Pais e Educadores

A terapia cognitivo-comportamental oferece uma gama de estratégias para lidar com as distorções cognitivas. Além disso, a hipnose clínica pode ser uma ferramenta poderosa nessa jornada. Ela permite o acesso a um estado de relaxamento profundo, facilitando o processo de reestruturação cognitiva e promovendo um maior equilíbrio emocional.

Manter um diário de pensamentos também se mostra eficaz. Anotar os pensamentos intrusivos e avaliar suas veracidades é um método eficaz para identificar e refutar as distorções cognitives.

Não esqueça, o apoio profissional é sempre indicado nesse processo. O profissional poderá te auxiliar nas estratégias mais adequadas para o seu caso.

Conclusão: Distorções cognitivas e o poder transformador da Hipnose Clínica

Neste artigo, mergulhamos no mundo das distorções cognitivas, dessa maneira conseguimos entender melhor o que são, quais são os 10 tipos mais comuns, e como lidar com elas de maneira efetiva. As distorções cognitivas são pensamentos automáticos e irrefletidos que tendem a distorcer a nossa percepção da realidade. Elas podem ter um grande impacto em nosso dia-a-dia, influenciando nosso comportamento, nossas decisões e a nossa interação com as pessoas ao nosso redor.

Entretanto, ao aumentar a nossa conscientização sobre essas distorções, é possível identificá-las e combatê-las, levando a uma vida mais equilibrada. A Hipnose Clínica, quando associada à práticas baseadas em evidências como a terapia cognitivo-comportamental, pode ser uma poderosa aliada nesse processo. A Hipnose nos ajuda a acessar a unidade mente-corpo, favorecendo a reestruturação dos padrões de pensamento.

Essencialmente, a compreensão e o manejo das distorções cognitivas são indispensáveis para os profissionais que atuam na área de saúde emocional e mental, trazendo benefícios significativos para os seus pacientes. Responsabilidade, ética e capacidade técnica são pilares fundamentais para um trabalho bem-sucedido.

Interessado em aprender a hipnose científica para aplicar profissionalmente? Para potencializar os seus resultados na sua profissão atual ou até mesmo abrir portas para uma nova carreira? Conheça as formações e pós graduação em hipnose baseada em evidências da Sociedade Brasileira de Hipnose através do link: https://www.hipnose.com.br/cursos/.

Perguntas Frequentes

É possível eliminar completamente as distorções cognitivas?

Em teoria, não. As distorções cognitivas são mecanismos automáticos que o nosso cérebro utiliza para lidar com informações complexas. Em vez de tentar eliminá-las, a ideia é aprender a reconhecê-las e gerenciá-las de maneira saudável e produtiva através de técnicas de terapia cognitivo-comportamental e hipnose clínica.

Como a hipnose clínica pode ajudar no tratamento das distorções cognitivas?

A hipnose clínica é uma ferramenta poderosa que facilita o acesso à unidade mente-corpo, permitindo assim a reestruturação dos padrões de pensamento. Combinada com a terapia cognitivo-comportamental, ajuda a pessoa a interromper os pensamentos automáticos negativos, favorecendo a mudança de percepção e comportamento.

Quais são os benefícios da terapia cognitivo-comportamental (TCC) no tratamento das distorções cognitivas?

A TCC ajuda na identificação e desafio dos pensamentos automáticos negativos que conduzem às distorções cognitivas. Como é centrada na ideia de que os pensamentos influenciam diretamente as emoções e comportamentos, a modificação desses pensamentos pode levar a mudanças positivas em como nos sentimos e agimos.

Como posso saber se estou enfrentando distorções cognitivas?

O primeiro passo é sempre a autoconsciência. Reconhecer quando você está tendendo a pensar de forma negativa é fundamental. Se perceber que esses pensamentos estão afetando a sua qualidade de vida, causando ansiedade ou depressão, por exemplo, pode ser um indicativo de que você está lidando com distorções cognitivas. Nesses casos, procurar ajuda profissional é sempre recomendado.

Existem maneiras práticas de lidar com as distorções cognitivas no dia a dia?

Sim. Além da terapia cognitivo-comportamental e da hipnose clínica, práticas de autoconsciência como manter um diário de pensamentos, onde você pode identificar e avaliar a veracidade dos pensamentos negativos, são bastante úteis. Exercitar a empatia, questionando o que diria a um amigo que estivesse passando pela mesma situação, também é uma boa técnica para combater a autocrítica excessiva.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes: