Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.

Transtorno de personalidade narcisista: Como a hipnose pode ajudar

O transtorno de personalidade narcisista pode ser definido por um padrão generalizado de grandiosidade, necessidade de adulação e falta de empatia. O diagnóstico é por critérios clínicos. As qualidades, acertos e até conquistas pessoais são sempre mais infladas por pessoas com esse transtorno. A estimativa segundo um estudo da URFGS, é que menos de 1% da população geral sofre com esse transtorno.

Esse transtorno de personalidade, pode levar o sujeito a ter dificuldades de se relacionar com as pessoas e criar dificuldades em seu ambiente familiar, educacional, de trabalho e entre outros. Mas existe uma explicação do porque algumas pessoas possuem esse transtorno e a hipnose pode ser uma forma de ajudá-las em seu processo de regulação emocional. Confira!

Entenda o transtorno de personalidade narcisista

A princípio pode parecer que as pessoas com a personalidade narcisista são extremamente confiantes e possuem uma autoestima elevada, quando na verdade, sua personalidade é uma demonstração da necessidade dessas pessoas terem a aceitação social, de forma que as outras pessoas sejam uma forma de constatar seu valor.

Sintomas

Então, vamos entender com mais detalhes, quais são os possíveis sintomas desse transtorno, levando em conta que eles podem variar a sua gravidade. Veja os sintomas desse paciente segundo a Mayo Clinic:

  • Tem um senso exagerado de auto-importância;
  • Tem um senso de direito e exige admiração constante e excessiva;
  • Espera ser reconhecido como superior, mesmo sem realizações que o justifiquem;
  • Exagera nas realizações e talentos;
  • Preocupa com as fantasias sobre sucesso, poder, brilho, beleza ou o(a) companheiro(a) perfeito(a);
  • Acredita que ele é superior e só podem se associar com pessoas igualmente especiais;
  • Monopoliza conversas e despreza as pessoas que ele considera inferiores;
  • Espere favores especiais e conformidade inquestionável com suas expectativas;
  • O paciente aproveita as vantagens dos outros para conseguir o que desejam;
  • Ter uma incapacidade ou falta de vontade de reconhecer as necessidades e sentimentos dos outros;
  • Ter inveja dos outros e acreditar que os outros os invejam;
  • Comporte-se de maneira arrogante ou arrogante, parecendo vaidoso, orgulhoso e pretensioso;
  • Insiste em ter o melhor de tudo – por exemplo, o melhor carro ou escritório.

Ao mesmo tempo, pessoas com transtorno de personalidade narcisista têm dificuldade em lidar com qualquer fala ou expressão que pode ser uma crítica e podem:

  • Ficar impacientes ou zangados quando não recebem tratamento especial;
  • Têm problemas interpessoais significativos e facilmente se sentem desprezados;
  • Reaja com raiva ou desprezo e tente menosprezar a outra pessoa para parecerem superiores;
  • Têm dificuldade em regular emoções e comportamento;
  • Experimenta grandes problemas ao lidar com o estresse e se adaptar às mudanças;
  • Sinta-se deprimido e mal-humorado porque não atinge a perfeição;
  • Têm sentimentos secretos de insegurança, vergonha, vulnerabilidade e humilhação.

Causas

Agora que entendemos os sintomas, vamos explicar para você alguns tipos possíveis de causas para promover esse transtorno da vida das pessoas. Veja abaixo:

  • abuso ou negligência na infância;
  • mimos excessivos dos pais;
  • expectativas irrealistas dos pais;
  • promiscuidade sexual (muitas vezes acompanha o narcisismo);
  • influências culturais;
  • disposição genética.

Tratamentos

A forma mais indicada para tratar esse transtorno é com terapias cognitivas que estimulam o indivíduo a mudar sua forma de pensar e facilitar sua interação com a sociedade. Na terapia o paciente é colocado em situações fictícias em que ele precisa aprender valores de colaboração com as outras pessoas, de empatia e encontrar uma visão mais equilibrada de si mesmo.

Mas será que a hipnoterapia pode ser uma forma de ajudar nesse tratamento? Veja a resposta dessa pergunta a seguir.

Descubra como a hipnose pode ajudar

Segundo a American Psychological Association (APA), com pequenas considerações da Sociedade Brasileira de Hipnose (SBH), a hipnose pode ser definida como um estado de consciência [induzido intencionalmente] que envolve atenção concentrada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Nesse estado, o sujeito é conduzido a experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento [orientado a um objetivo].

Pela hipnose, o paciente é levado a perceber mais profundamente o seu modo de pensar, assim como a sua forma de lidar com as críticas. Também é levado a encontrar alternativas à sua forma de buscar a constante aceitação das pessoas e encontrar uma aceitação própria mais equilibrada sem que isso possa fazê-lo ter um comportamento inadequado socialmente e estar mais aberto à necessidade das pessoas à sua volta. 

No caso, a hipnoterapia pode intensificar os resultados da terapia convencional e proporcionar também um melhor engajamento na terapia. Não há garantias de que a hipnose seja uma solução definitiva para o transtorno, assim como para outras situações, ainda mais quando a mudança de comportamento depende da disposição do paciente em mudar, se ele conseguir reconhecer o problema.

Portanto, para ajudar pacientes com esse transtorno é possível utilizar a hipnoterapia para torná-los mais abertos a mudanças. O importante é que o terapeuta ao entrar em contato com seu paciente, sempre faça uma anamnese para entender com profundidade o seu problema e verificar se há necessidade de um acompanhamento médico especializado.

Se você se interessou em saber mais como a hipnose pode ser a solução para outros problemas comportamentais, então leia nosso conteúdo sobre a Síndrome do Impostor: como a hipnose pode ajudar.

Gostou do artigo?

0 / 5 0

Your page rank:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes

Novidades

Mais acessados

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.