Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.

A Hipnose pode ajudar no transtorno de personalidade?

Existem alguns tipos de transtornos de personalidade e eles não possuem cura, e sim tratamento para que o paciente possa ter melhor qualidade de vida. Isso porque os sintomas desse tipo de transtorno impactam significativamente a vida da pessoa. Isso traz prejuízos em suas relações pessoais e profissionais, o que leva a uma maior desadaptação social e sofrimento para elas.

Por isso, vamos esclarecer para você neste artigo, o que é transtorno de personalidade, quais são os seus tipos, e como a hipnose pode ajudar os pacientes a lidarem com alguns desses sintomas. Confira!

O que é transtorno de personalidade?

O Manual DSM (Manual Diagnóstico e Estatísticos de Transtornos Mentais) é um manual feito pela Associação Americana de Psiquiatria (APA) para definir como é feito o diagnósticos dos transtornos mentais. Ele é comumente utilizado para consulta por profissionais e estudantes da área da saúde. Atualmente estamos em sua 5ª edição.

Segundo o DSM V( p. 646, 647), os transtornos de personalidade são geralmente padrões de comportamento que persistem ao longo do tempo, na forma do paciente perceber, reagir e  se relacionar com alguém ou alguma coisa, e que causam um sofrimento significativo ou comprometimento funcional das relações sociais.

Sua causa é descrita por uma combinação de fatores genéticos, ambientais, história de vida e familiar. Ou seja, é multifatorial!

Por isso, o diagnóstico é clínico e deve ser feito apenas por psicólogos ou psiquiatras qualificados. 

Vejamos abaixo alguns exemplos de transtorno.

Tipos de transtorno de personalidade

O Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) divide os tipos de transtornos de personalidade em 3 grupos (A, B, e C), com base em características semelhantes. 

O grupo A é definido por pacientes que parecerem  estranhos ou excêntricos. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Paranoide: desconfiança e suspeita;
  • Esquizoide: desinteresse em outras pessoas;
  • Esquizotípico: ideias e comportamentos excêntricos.

O grupo B é definido por pacientes com comportamento dramático, emocional ou errático. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Antissocial: irresponsabilidade social, ausência significativa de empatia, dificuldade em lidar com as regras sociais;
  • Borderline: intolerância a rejeição, instabilidade e desregulação emocional;
  • Histriônico: Pacientes com transtorno de personalidade histriônica usam sua aparência física, agindo de forma inadequadamente sedutora ou provocadora, para chamar a atenção dos outros.
  • Narcisista: Intensa necessidade de admiração, ausência significativa de empatia, preocupação com fantasia de sucesso, riqueza, poder, beleza e amor acima do normal .

O grupo C é definido por pacientes com comportamento ansioso e apreensivo. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Esquivo: evitar contato interpessoal por causa de sensibilidade à rejeição
  • Dependente: submissão e necessidade de ser cuidado
  • Obsessivo-compulsivo: compulsão, rigidez, e obstinação

Como a hipnose pode ajudar com os transtornos de personalidade?

Segundo a American Psychological Association (APA), com pequenas considerações da Sociedade Brasileira de Hipnose (SBH), a hipnose pode ser definida como um estado de consciência [induzido intencionalmente] que envolve atenção concentrada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Nesse estado, o sujeito é conduzido a experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento [orientado a um objetivo].

Com a hipnose,  o terapeuta tem a possibilidade de ter mais uma ferramenta para potencializar o seu trabalho com os pacientes. Ela amplia as percepções do paciente e o ajuda a ter diferentes formas de cuidar de sintomas, como o da ansiedade.

Também há alguns estudos que mostram que a hipnose já contribui para ajudar a entender melhor os comportamentos de pessoas com transtorno de personalidade. Segundo o estudo da BMC, os resultados indicam que em pacientes com transtorno de personalidade, a suscetibilidade hipnótica influencia seus estilos de funcionamento pessoal em geral.

Outro estudo da National Library of Medicine, demonstra que a hipnose pode, entretanto, afetar a lembrança de abusos sexuais e físicos e a manifestação de certos tipos de alteridade da personalidade. Os autores levantam a hipótese de que o grupo hipnotizado pode requerer hipnose para acesso a memórias mais traumáticas.

Portanto, a hipnose pode ser uma ferramenta que faz  diferença na vida das pessoas que precisam enfrentar algum tipo de transtornos de personalidade. Isso porque a hipnose pode ajudar o terapeuta a alcançar resultados mais significativos em suas sessões e auxiliar na compreensão dos problemas do paciente.

Se você se interessou sobre as aplicações da hipnose, amplie seu conhecimento no assunto com os nossos e-books gratuitos!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes

Novidades

Mais acessados

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.