Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.

A Hipnose pode ajudar no transtorno de personalidade?

Existem alguns tipos de transtornos de personalidade e eles não possuem cura, e sim tratamento para que o paciente possa ter melhor qualidade de vida. Isso porque os sintomas desse tipo de transtorno impactam significativamente a vida da pessoa. Isso traz prejuízos em suas relações pessoais e profissionais, o que leva a uma maior desadaptação social e sofrimento para elas.

Por isso, vamos esclarecer para você neste artigo, o que é transtorno de personalidade, quais são os seus tipos, e como a hipnose pode ajudar os pacientes a lidarem com alguns desses sintomas. Confira!

O que é transtorno de personalidade?

O Manual DSM (Manual Diagnóstico e Estatísticos de Transtornos Mentais) é um manual feito pela Associação Americana de Psiquiatria (APA) para definir como é feito o diagnósticos dos transtornos mentais. Ele é comumente utilizado para consulta por profissionais e estudantes da área da saúde. Atualmente estamos em sua 5ª edição.

Segundo o DSM V( p. 646, 647), os transtornos de personalidade são geralmente padrões de comportamento que persistem ao longo do tempo, na forma do paciente perceber, reagir e  se relacionar com alguém ou alguma coisa, e que causam um sofrimento significativo ou comprometimento funcional das relações sociais.

Sua causa é descrita por uma combinação de fatores genéticos, ambientais, história de vida e familiar. Ou seja, é multifatorial!

Por isso, o diagnóstico é clínico e deve ser feito apenas por psicólogos ou psiquiatras qualificados. 

Vejamos abaixo alguns exemplos de transtorno.

Tipos de transtorno de personalidade

O Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) divide os tipos de transtornos de personalidade em 3 grupos (A, B, e C), com base em características semelhantes. 

O grupo A é definido por pacientes que parecerem  estranhos ou excêntricos. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Paranoide: desconfiança e suspeita;
  • Esquizoide: desinteresse em outras pessoas;
  • Esquizotípico: ideias e comportamentos excêntricos.

O grupo B é definido por pacientes com comportamento dramático, emocional ou errático. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Antissocial: irresponsabilidade social, ausência significativa de empatia, dificuldade em lidar com as regras sociais;
  • Borderline: intolerância a rejeição, instabilidade e desregulação emocional;
  • Histriônico: Pacientes com transtorno de personalidade histriônica usam sua aparência física, agindo de forma inadequadamente sedutora ou provocadora, para chamar a atenção dos outros.
  • Narcisista: Intensa necessidade de admiração, ausência significativa de empatia, preocupação com fantasia de sucesso, riqueza, poder, beleza e amor acima do normal .

O grupo C é definido por pacientes com comportamento ansioso e apreensivo. Neste grupo, os transtornos de personalidade e suas características distintivas são:

  • Esquivo: evitar contato interpessoal por causa de sensibilidade à rejeição
  • Dependente: submissão e necessidade de ser cuidado
  • Obsessivo-compulsivo: compulsão, rigidez, e obstinação

Como a hipnose pode ajudar com os transtornos de personalidade?

Segundo a American Psychological Association (APA), com pequenas considerações da Sociedade Brasileira de Hipnose (SBH), a hipnose pode ser definida como um estado de consciência [induzido intencionalmente] que envolve atenção concentrada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Nesse estado, o sujeito é conduzido a experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento [orientado a um objetivo].

Com a hipnose,  o terapeuta tem a possibilidade de ter mais uma ferramenta para potencializar o seu trabalho com os pacientes. Ela amplia as percepções do paciente e o ajuda a ter diferentes formas de cuidar de sintomas, como o da ansiedade.

Também há alguns estudos que mostram que a hipnose já contribui para ajudar a entender melhor os comportamentos de pessoas com transtorno de personalidade. Segundo o estudo da BMC, os resultados indicam que em pacientes com transtorno de personalidade, a suscetibilidade hipnótica influencia seus estilos de funcionamento pessoal em geral.

Outro estudo da National Library of Medicine, demonstra que a hipnose pode, entretanto, afetar a lembrança de abusos sexuais e físicos e a manifestação de certos tipos de alteridade da personalidade. Os autores levantam a hipótese de que o grupo hipnotizado pode requerer hipnose para acesso a memórias mais traumáticas.

Portanto, a hipnose pode ser uma ferramenta que faz  diferença na vida das pessoas que precisam enfrentar algum tipo de transtornos de personalidade. Isso porque a hipnose pode ajudar o terapeuta a alcançar resultados mais significativos em suas sessões e auxiliar na compreensão dos problemas do paciente.

Se você se interessou sobre as aplicações da hipnose, amplie seu conhecimento no assunto com os nossos e-books gratuitos!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes

Novidades

Mais acessados

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.