Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.

Tudo sobre Hipnose Clínica na Obstetrícia

A hipnose é um conhecimento aplicável em diversas áreas profissionais e ainda não possui uma regulamentação de como deve ocorrer no Brasil. Mas os Conselhos Federais de Medicina, Psicologia, Fisioterapia, Odontologia, recomendam o uso da hipnose como soluções alternativas em conjunto com soluções tradicionais.

De acordo com a reportagem do jornal O Tempo, França e Bélgica, assim como outros países, já oferecem cuidado clínico conhecido como hipnossedação – que combina a hipnose com a anestesia local – como alternativa à anestesia geral em cirurgias.

O mais comum, de acontecer é as pessoas associarem esse conhecimento com a área da psicologia e psiquiatria. Mas a hipnose também pode fornecer bons benefícios na área da medicina, inclusive na obstetrícia. Por isso, vamos mostrar neste conteúdo, os principais benefícios da hipnose clínica na obstetrícia, confira!

O que é a hipnose clínica?

Segundo a American Psychological Association (APA), com pequenas considerações da Sociedade Brasileira de Hipnose (SBH), a hipnose pode ser definida como um estado de consciência [induzido intencionalmente] que envolve atenção concentrada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Nesse estado, o sujeito é conduzido a experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento [orientado a um objetivo].

No caso da hipnose clínica, é o uso da hipnose em conjunto com os tratamentos tradicionais para situações de ansiedade, depressão, dores físicas e problemas emocionais. Sendo possível, tornar desnecessário o uso de medicações. Entenda com mais detalhes a seguir.

Os cuidados com as dores da paciente

Um estudo publicado na National Library of Medicine, revela que estudos sobre o uso da hipnose como meio alternativo de lidar com a dor no parto acontecem desde o século 20, e o histórico deles mostra resultados efetivos. Esses resultados provam que a hipnose consegue contribuir com a redução das dores e também promover partos sem nenhuma dor para mulher.

De acordo com a Digital Encyclopedia of European History, esses estudos começaram na URSS, quando os medicamentos eram muito caros para anestesiar as gestantes durante o parto, e por isso, houve incentivos estatais em pesquisas nesse ramo para que a hipnose entrasse como uma forma alternativa. O sucesso dessa aplicação fez com que essas metodologias chegassem à França e fossem aprimoradas. 


Outros estudos também indicam que o uso da hipnose também pode ajudar a proporcionar um parto com mais chances de sucesso, diminuindo as chances da criança enfrentar algumas experiências negativas irreversíveis ou traumáticas.

Além disso, a mulher possui outras “dores”, durante a sua gestação, que são sintomas que podem surgir durante a sua gestação. O enjoo é um dos sintomas mais comuns nos primeiros três meses da gravidez, podendo levar a vômitos e mal estar para a mulher. Mas a hipnose pode ajudá-la a se tornar menos sensível aos fatores que ativam o seu enjoo.


Um desses fatores é o cheio de alimentos fortes, e nesses casos, a mulher pode fazer treinamentos por meio da hipnose para controlar sua sensibilidade também a movimentos e outros fatores que causam enjoo. 

De acordo com um estudo da Britain University of Warwick, algumas pessoas que experimentaram situações simuladas que provocam motion sickness, tiveram uma redução nos níveis de enjoo quando foram visualmente treinadas a lidarem com essas situações.

Os benefícios para acompanhamento psicológico durante a gestação

Em relação aos fatores psicológicos, é conhecido que a mulher possui 7 fases psicológicas durante a sua gestação. Todas elas podem promover variações de pensamentos e personalidade, por causa das variações hormonais do corpo da mulher durante esse período, mas também por causa das mudanças estruturais da sua rotina de trabalho e social.

A hipnose entra neste momento para conduzir a gestante a um estado mental de tranquilidade a ponto dela se tornar mais sensível a conselhos para superar medos, traumas familiares e até problemas de relacionamento.

Muito se fala no cuidado da mulher nessas questões, mas os parceiros também podem ser atingidos negativamente pela gestação, por causa do distanciamento da mulher na relação. 

Neste caso, a hipnose também pode auxiliá-los a entender melhor essa fase e estarem mais aptos a lidarem com a ausência temporária da mulher na relação.

Os benefícios da hipnose para depressão pós-parto (DPP)

A depressão pós-parto é algo que pode afligir uma em cada quatro mulheres podem ter, segundo um estudo feito pela Fundação Oswaldo Cruz. Geralmente, seus sintomas acontecem depois de algumas semanas do parto, e a impedem de se relacionar com os familiares, com o parceiro e até com a própria criança. Eles são:

  • mudanças de humor severas;
  • choro excessivo;
  • dificuldade de criar laços afetivos com a criança;
  • afastamento de amigos e familiares;
  • perda de apetite ou comer mais do que está acostumada;
  • incapacidade de dormir (insônia) ou dormir muito;
  • exaustão ou perda de energia;
  • reduz o interesse e o prazer em fazer atividades que gosta;
  • facilidade em se irritar e ficar com raiva;
  • sensação de falta de esperança;
  • ter medo em não ser uma boa mãe;
  • se sentir inútil, envergonhada, culpada e inadequada;
  • não consegue pensar claramente, se concentrar ou tomar decisões;
  • ansiedade severa e ataques de pânico;
  • pensamentos em machucar a si mesmo ou o bebê;
  • ideação suicida.

Mas se você olhar este caso divulgado pela American Journal of Clinical Hypnosis, a hipnose foi usada para tratar um caso de DPP em uma paciente, e desde a sua primeira consulta, já mostrou bons resultados. Vale ressaltar que este caso, estava resistente ao uso de medicações antidepressivas e a hipnose foi uma solução alternativa.

Nos demais casos a hipnose clínica também é capaz de induzir a mulher a um estado de tranquilidade e relaxamento, o suficiente para lidar com níveis altos de ansiedade. Já no caso da depressão, a hipnose também pode: 

  • ressignificar eventos que foram traumáticos; 
  • trabalhar o autoconhecimento; 
  • diminuir o estresse e a ansiedade (que podem ser uma das comorbidades da depressão);
  • trabalhar a auto aceitação, seja do transtorno mental ou de outra característica pessoal que incomode o paciente. 

Dessa forma, podemos ver que a hipnose é uma solução alternativa para diversos problemas na área da obstetrícia, e que se tem deixado suas evidências científicas a mais de um século. No entanto, deve-se ressaltar que qualquer tipo de tratamento a gestantes deve ser feito por um profissional qualificado para isso e com a recomendação de um obstetra de confiança.Gostou do conteúdo? Então, você vai gostar de ler nosso e-book gratuito sobre HypnoPregancy & ChildBirth!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes

Novidades

Mais acessados

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.