Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.

Insônia e transtorno do pânico: como a auto-hipnose pode ajudar

Ficar olhando para teto, esperando o sono vir, ou virar de um lado para o outro da cama é um comportamento comum de quem possui problemas com insônia. Existem algumas formas de combater a insônia clinicamente e com uso de medicamentos, mas há também a possibilidade de combate da insônia por meio da hipnose. 

Em alguns casos, esse combate pode ser desafiador, porque a insônia está atrelada à ansiedade, e dependendo do nível que o paciente possui, ele pode sofrer uma crise de pânico no momento da insônia também. Isso não significa que existe relação obrigatória de que um problema leva ao outro, mas há possibilidades da hipnose ajudar no combate de ambos, por terem sintomas parecidos.

Por isso, elaboramos esse conteúdo para explicar para você o que é insônia e transtorno do pânico, suas causas e como a hipnose pode ser um auxílio para esses problemas. Confira!

Entenda o que é insônia e o transtorno do pânico

Segundo a Associação Brasileira do Sono, a insônia pode ser definida como a dificuldade para dormir ou se manter no sono. Essa dificuldade varia de paciente para paciente, mas é um problema que ainda não se sabe com precisão a sua origem. Algumas ponderações dessa Associação, mostram que a insônia pode acontecer antes ou depois de um transtorno emocional.

Por isso, as pessoas que sofrem de insônia estão com algum transtorno de humor, ou com níveis excessivos de ansiedade e estresse. Como diz o material sobre insônia da Associação, “A insônia é mais prevalente também na população de menor estrato socioeconômico, entre os desempregados/aposentados e entre os que perderam o cônjuge (por viuvez, divórcio ou separação). Estes pacientes, não raro, costumam portar transtornos psiquiátricos, outro grande fator de risco para insônia”.

Ou seja, apesar de existirem fatores ambientais (situações e eventos do dia), que podem levar à insônia, ela geralmente está associada como um sintoma de algum problema psiquiátrico. 

Mas, não se pode dispensar a possibilidade que o estilo de vida e os problemas de saúde podem causar a insônia. Até porque pessoas com estilo de vida mais agitado de longas horas de trabalho e que não possuem uma rotina de sono estabelecida, podem sofrer insônia também. Enquanto algumas doenças respiratórias que prejudicam a paciente a dormir, podem gerar ansiedade e estresse e consequentemente, insônia.

Agora vamos explicar sobre o que é o transtorno do pânico e como ele acontece. Continue a leitura.

Transtorno do pânico

Em relação ao transtorno do pânico, ele também pode acontecer por causa de estresse e ansiedade. De acordo com o Dr. Drauzio Varella, também pode ter causas genéticas, ambientais e químicas, com o uso abusivo de medicamentos, drogas e álcool. 

Segundo o Dr. Drauzio, o transtorno é uma sensação de quase morte, onde o paciente sente falta de ar, aceleramento dos batimentos cardíacos e falta de controle do seu próprio corpo. Essa sensação pode durar até dez minutos. Veja abaixo os principais sintomas:

  • Medo de morrer;
  • Medo de perder o controle e enlouquecer;
  • Despersonalização (impressão de desligamento do mundo exterior, como se a pessoa estivesse vivendo um sonho) e desrealização (distorção na visão de mundo e de si mesmo que impede diferenciar a realidade da fantasia);
  • Dor e/ou desconforto no peito que podem ser confundidos com os sinais do infarto;
  • Palpitações e taquicardia;
  • Sensação de falta de ar e de sufocamento;
  • Sudorese;
  • Náusea;
  • Desconforto abdominal;
  • Tontura ou vertigem;
  • Ondas de calor e calafrios;
  • Adormecimento e formigamentos;
  • Tremores, abalos e estremecimentos.

E os sintomas físicos são consequência de uma ativação do sistema simpático. Conhecer como funciona essa modulação do sistema simpático e sistema parassimpático é muito importante para todos profissionais de saúde.

Quando estamos ansiosos a nossa boca fica seca, dilata a pupila, aumenta a produção de adrenalina e estimula o aumento do ritmo cardíaco. Esses são exatamente os sintomas da ativação simpática.

O sistema nervoso simpático é o que te prepara para luta ou fuga, ele é um sistema que deixa o indivíduo tenso e o parassimpático é um sistema “frenador”, ou seja, que vai diminuir essas tensões. 

Agora vamos mostrar como a hipnose pode ser usada para combater esses dois problemas. Confira!

Como a auto-hipnose pode ajudar no combate da insônia e do transtorno do pânico

Segundo a American Psychological Association (APA), com pequenas considerações da Sociedade Brasileira de Hipnose (SBH), a hipnose pode ser definida como um estado de consciência [induzido intencionalmente] que envolve atenção concentrada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. Nesse estado, o sujeito é conduzido a experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento [orientado a um objetivo].

Auto-hipnose é o auto uso dessas técnicas que podem induzir esse estado alternativo de consciência. Ela ajuda a conseguir estar mais focado e com maior disposição em receber sugestões positivas para atender seus objetivos. Mas, a auto-hipnose não é:

  • perda do controle da mente;
  • lavagem cerebral;
  • dormir;
  • ficar inconsciente;
  • um estado místico.

Ela é uma prática individual, e que pode ser ensinada com auxílio do terapeuta para os seus pacientes para que eles não precisem de um contato direto frequente, e ainda terem ajuda em alcançar seus objetivos.  

As suas vantagens mais comuns são:

  • Pode ser realizada em qualquer lugar em que o indivíduo consiga se concentrar;
  • O indivíduo pode se sentir com mais controle sobre si mesmo;
  • O indivíduo que escolhe as sugestões hipnóticas que mais fazem sentido para si;
  • Ajuda a diminuir a necessidade de novas consultas com terapeutas.

Como funciona a auto-hipnose com a insônia e o transtorno do pânico

Segundo a Sleep Foundation, por meio da hipnose, é possível o paciente se sentir relaxado e criar a oportunidade para orientar suas emoções. Estudos pequenos já identificaram benefícios modestos que podem ajudar no combate da insônia. 

Outro estudo publicado na National Library of Medicine, mostra que a hipnose pode ser uma ferramenta útil para colocar a pessoa em sono profundo, justamente por diminuir o ritmo da mente. Isso significa que o paciente que tem mais horas de sono profundo pode ter maior recuperação mental e física.

Existem casos que comprovam a efetividade da auto-hipnose para dormir. Se você olhar essa notícia do Fast Company, encontrará um relato de uma mulher que utilizou auto-hipnose para conseguir combater a insônia e, apesar de não ter resultados imediatos, depois de duas semanas ela já começou dormir melhor e normalmente.

Para que o paciente que use a hipnose seja eficiente, existem algumas dicas que podem aprimorar essa experiência. Veja abaixo:

  • Distribua recursos que o paciente possa usar em casa: Há vários recursos que podem ser utilizados para praticar a auto-hipnose, desde roteiros escritos, músicas calmas, estratégias de relaxamento e até aplicativos;
  • Desenvolva com o paciente uma rotina: Os hábitos têm uma influência maior nos comportamentos. Se você notar que o paciente teve uma boa mudança na qualidade do sono com mudanças de rotina, ajude-o a se organizar para ter hábitos saudáveis mas frequentes. Isso inclui, horário fixo para dormir, atividades físicas, exercícios de relaxamento nos horários programados entre outros;
  • Mostre a ele formas dele monitorar o próprio sono: faça o paciente registrar ou dar uma nota para qualidade do sono que teve no dia e a disposição que ele tem pela manhã. Existem aplicativos que ajudam com isso, por exemplo o Sleep Cycle.

Agora no caso do transtorno do pânico, a hipnose também vai atuar para reduzir os níveis de ansiedade. Mas, no caso específico desse transtorno que tem problemas com o medo, a hipnose pode ajudar o paciente a aumentar sua autoestima e autoconfiança, justamente para reduzir o medo e a preocupação.  Segundo a Hypnotherapy Directory, a auto-hipnose também proporciona ao paciente a habilidade de saber acessar um estado calmo da mente, o faz ele superar emoções negativas do transtorno.

Algumas sugestões que o terapeuta pode utilizar para suas consultas são:

  • “Você está no controle da situação, nada vai machucar você”;
  • “Diminua sua respiração, você vai se sentir mais calmo(a)”;
  • “Você consegue passar por isso, apenas respire”.

Os resultados da auto-hipnose podem vir com a constante prática do paciente e a sua disposição em manter hábitos de pensamentos mais saudáveis. Contudo, é importante que antes de utilizar a auto-hipnose, o paciente precisa diagnosticar seu problema com um médico de confiança para que ele possa avaliar melhor o cenário e descartar outros problemas relacionados. Dessa forma, o uso da auto-hipnose pode ser mais efetivo e responsável.

Gostou de aprender sobre a auto-hipnose para insônia e transtorno do pânico? Então, aprenda mais sobre em nosso guia que ensina auto-hipnose do básico ao avançado!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Mais conteúdos interessantes

Novidades

Mais acessados

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog e ative as notificações para receber os melhores conteúdos da Sociedade Brasileira de Hipnose.

Sim, eu aceito receber os conteúdos da SBH e compreendo que posso me descadastrar a qualquer momento.